UM POUCO DE CALMA

 

O Benfica vive dias agitados.

 

O fim e só o fim da época passada foi traumatico e estendeu-se ao início desta época.

 

Nestes momentos exige-se racionalidade, bom senso e alguma calma.

 

É certo que ninguém ou quase ninguém percebe a falta de planeamento e de organização do futebol do Benfica.Têm sido cometidos erros atrás de erros. Contratações aparentemente sem grande critério, para posições (algumas delas) onde já temos jogadores suficientes e continuam a faltar alternativas válidas e fortes para outras posições ( defesa direita e esquerda, posição "6" e, com a mais que certa saída de Cardozo, um ponta de lança). Não se entendem algumas aquisições que viram empréstimos em negócios estranhos e outras em que os empréstimos se destinam a clubes do Médio Oriente, local onde os campeonatos não têm qualquer interesse e que a possibilidade de valorização dos jogadores é, praticamente, nula.

 

O processo de Cardozo é surreal e ultrapassa os limites do razoável. Qualquer que fosse a decisão esta deveria estar tomada há muito tempo. Mas, também nesta situação, alguns dos que passavam a vida a injustamente assobiar o jogador no Estádio da Luz são os primeiros a exigir que seja reintegrado e que começe a jogar. A memória é curta e seletiva.

 

O Treinador, Jorge Jesus, tem sido um dos alvos mais vizados por alguma massa adepta, se calhar por aqueles que também no fim da época passada exigia a sua renovação. As massas não têm racionalidade e vivem o momento presente e só este. A verdade é que Jorge Jesus parece abandonado à sua sorte. É o único que mal ou bem tenta defender o Benfica. Parece ser a única voz do Benfica. Ele faz o papel de treinador, diretor desportivo e, no limite, de presidente do clube. Não pode ser só ele a falar. Ele tem que estar exclusivamente concentrado na equipa. Para muitos Jorge Jesus é um problema mas, para mim, é o problema menos grave do Benfica ainda que reconheça que comete erros. Claro que comete, é humano mas com uma estrutura devidamente organizada acima cometeria muito menos, por certo.

 

O principal problema do Benfica está na estrutura de apoio ao futebol que não aparece, que não blinda o treinador e o balneário, que não faz o seu trabalho na LIGA e na FEDERAÇÃO, que não defende o Benfica, o seu treinador e os seus jogadores, ou se o faz, não se verificam resultados desse trabalho. O nosso Presidente fala quando não deve e fica calado quando parece que devia reagir, parece estar sempre em "fora de jogo" na altura de rematar à baliza.

 

Todos nós queremos mais e melhor mas nestas alturas a prudência é boa conselheira. Não devemos embarcar em situações fáceis, manifestações sem sentido e em populismo demagógico e destruidor.

 

O pior que pode acontecer ao Benfica é aliar um problema de resultados a uma luta fraticida de sucessão, extemporânea e sem credibilidade. Não devemos estar calados, não devemos deixar de reagir, de apontar caminhos alternativos ou de novas ideias para um maior e melhor Benfica. No entanto este caminho não pode nem deve diminuir ainda mais o Benfica e, quem sabe, servir os interesses de outros que não querem o bem do nosso Benfica. E,  desculpem a minha sinceridade mas não existe, ainda, ninguém que dê garantias de qualidade, competência, estofo e estrutura para ser alternativa a Luís Filipe Vieira. É pena.  É que ser Presidente do Benfica não é, ou não deve ser, para quem quer mas sim para quem saiba e reúna as inúmeras condições essenciais para tal...

 

Não façam do Benfica uma guerra. Não lutem na praça pública mas sim através dos meios existentes e estatutários e trate-se do Benfica no local próprio.

 

VIVA O SL E BENFICA!

 

 

GRANDE REMATE DE magalhaes-sad-slb às 11:33 | COMENTAR | favorito